#sabiasque

Do Mito À Ciência

Se fores questionado sobre qual a cor do Sol de certeza que a resposta é fácil: O Sol é AMARELO! Mas será que é mesmo?

Realmente aqui da Terra o Sol parece amarelo, mas se fosses um astronauta e olhasses diretamente para o Sol perceberias que na realidade é branco. Parece estranho, não é? Mas sabes porquê?

Quando a radiação solar atinge a atmosfera terrestre, esta funciona como um filtro, o que faz com que determinadas cores que compõem o espetro da luz solar (vermelho, amarelo, anil, violeta, verde, laranja e azul) não cheguem até nós. Ou seja, a atmosfera dispersa as cores azul e violeta e apenas permite que cheguem até nós as outras cores. Por isso, a aparência dessa estrela acaba por ser mais amarelada.

Já percebeste que muitas vezes, aquilo que vemos, não é exatamente o que corresponde a realidade? A Ciência, por vezes tem dessas coisas!

É verdade, não tentes verificar qual é a verdadeira cor do Sol! Não é seguro olhar diretamente para a nossa estrela com os olhos desprotegidos.

Do mito à Ciência!

Quem é que não conhece a história do “lobo mau”?! Personagem de muitas histórias infantis com origem europeia.

Ainda há zonas, como o Gerês, onde os agricultores diabolizam este animal em virtude dos ataques a rebanhos.

Em tempos anteriores, o lobo era assustador, incompreendido e perseguido. Mas por muito maus que os lobos dos contos pareçam, a ciência conta uma história muito diferente.

Na realidade, o lobo é um animal selvagem que tem uma função ecológica muito importante: é um grande predador que controla as populações de animais herbívoros. As suas principais características físicas mostram-nos que está perfeitamente adaptado à caça de animais de grande tamanho, como veados e javalis, evitando que as suas populações cresçam em excesso e eliminando, sobretudo, os exemplares doentes.

Infelizmente, o lobo foi desaparecendo no decurso dos anos devido à perseguição humana e à destruição dos seus habitats. Atualmente é uma espécie ameaçada cuja sobrevivência é garantida apenas por diferentes programas de conservação.

Tem os sentidos muito apurados:

  • A visão está adaptada para ser melhor à noite. O seu maior período de atividade é crepuscular e noturno.
  • A audição é, provavelmente, o seu sentido mais apurado. Consegue ouvir acima dos 80kHz (humanos: até 20 kHz) e até cerca de 10km de distância numa floresta e 16km em espaço aberto. Mesmo quando dorme, as orelhas do lobo mantêm-se levantadas para detetar sons produzidos por outros animais.
  • O olfato é 100 vezes melhor que o dos humanos: consegue cheirar uma presa ainda antes de a ver, a cerca de 1,5km e é ainda capaz de sentir o cheiro de um animal três dias depois de ter partido de determinado local.

Fonte: https://ccvguimaraes.pt/

Sabias que?

Sabias que há muitas curiosidades em torno da ciência? Por exemplo: os camarões têm o coração na cabeça, o bambu pode crescer até 1m por dia, as formigas também se espreguiçam quando acordam….e muito mais! Fica atento ao nosso blog onde iremos desvendar alguns dos mistérios da ciência!

Vamos à descoberta? 😉

As vacinas, um dos maiores avanços da medicina moderna, mudaram por completo o panorama das doenças infeciosas nos países desenvolvidos e permitiram salvar mais vidas e prevenir mais casos de doença do que qualquer tratamento médico. Trata-se de produtos imunobiológicos constituídos por microrganismos, partes destes ou produtos derivados, que depois de inoculados no indivíduo saudável produzem uma resposta similar à da infeção natural, induzindo imunidade sem risco para o vacinado.
Além da proteção individual, a maioria das vacinas tem ainda a capacidade de, a partir de determinadas taxas de cobertura vacinal, interromper a circulação dos microrganismos entre pessoas originando aquilo a que se chama “imunidade de grupo”. Este benefício para a sociedade é claramente uma mais-valia da vacinação em massa.