Psicologia

Workshop para Pais/Encarregados de Educação

Insucesso Escolar: Dos Constrangimentos Emocionais, Às Dificuldades Escolares

A relação de uma criança, ou adolescente, com a escola, nem sempre é tarefa fácil e, de sobressalto em sobressalto, por vezes, uma criança, ou adolescente, afasta-se da escola e sente-a como um lugar onde as exigências se acumulam, a ansiedade cresce e, por consequência, aprender torna-se uma realidade distante e difícil.

Desta forma, no dia 26 de novembro de 2021, pelas 14h00, irá decorrer na Plataforma ZOOM e no Salão Nobre da Câmara Municipal de Boticas, um Workshop para pais/encarregados de educação, que irá ajudar a pensar a forma como as emoções e o bem-estar psicológico das nossas crianças e adolescentes podem condicionar, ou impulsionar, a aprendizagem escolar e os resultados académicos.

Este Workshop será dinamizado pela Dr.ª Sara Almeida, Co-fundadora da Escola do Sentir.

Dia Mundial de Resolução de Conflitos

O Dia Mundial de Resolução de Conflitos comemora-se anualmente na terceira quinta-feira de outubro. A data foi criada em 2005 pela Association For Conflict Resolution. O objetivo é apelar aos cidadãos para recorrer à mediação, à arbitragem e à conciliação para a resolução de conflitos, sublinhando as vantagens da resolução pacífica.

Sabes o que é um conflito?

É uma desavença, um desentendimento entre pessoas acerca de ideias, valores, opiniões ou comportamentos diferentes. Os conflitos podem ser resolvidos de forma POSITIVA ou NEGATIVA:

  • O diálogo e a negociação são formas POSITIVAS de resolver um conflito.
  • A violência pode surgir como uma estratégia NEGATIVA de resolver um conflito.

Que situações podem desencadear conflitos entre amigos ou colegas?

  • Não se sentir aceite.
  • Terem opiniões diferentes sobre os diversos assuntos.
  • Não conseguirem decidir que atividade realizar.
  • Pressionar o outro para fazer algo que não quer.

Estratégias que podes usar para a resolução de conflitos!

  • Dá tempo – tenta acalmar-te e pensar na situação (sai do local onde estás, respira fundo, conta até 10);
  • Reconhece que há um problema (1- conversa com a outra pessoa, dizendo-lhe que não gostas do que aconteceu; 2- lida com a situação sem fazeres ataques pessoais ou apontar defeitos à outra pessoa; 3- centra-te no problema, no que pensas sobre o que aconteceu e em tudo o que isso te fez sentir; 4- escuta a versão da outra pessoa sobre o que aconteceu.);
  • Negoceia (conversa com a outra pessoa de modo a que ambos concordem com o resultado);
  • Se achas que estás errado/a pede desculpas (muitas vezes um pedido de desculpas sincero pode ser suficiente para terminar e resolver um conflito);
  • Pede ajuda a um adulto se não és capaz de resolver o assunto sozinho/a.

Começa a treinar a resolução de conflitos através deste jogo. Boa sorte!

Dia Mundial De Combate ao Bullying

Celebra-se hoje, dia 20 de outubro, o Dia Mundial de Combate ao Bullying. Bullying é um anglicanismo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por uma ou mais pessoas no contexto de uma relação desigual de poder, causando dor e angústia nas vítimas. 

Esta data é um alerta internacional para o problema do bullying com que muitos jovens vivem. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), uma em cada três crianças do mundo, entre os 13 e os 15 anos, é vítima de bullying na escola regularmente. Associado ao recurso às novas tecnologias, nomeadamente as redes sociais, o bullying tem assumido novos contornos, deixando de lado a parte física da provocação, ameaça, intimidação e agressão, dando origem à vertente virtual do ciberbullying.

bullying inclui comportamentos como ameaçar, espalhar boatos, atacar alguém fisicamente (bater, arranhar, cuspir, roubar ou partir objetos) ou verbalmente (chamar nomes, provocar, dizer às outras crianças para não serem amigas de uma delas, gozar) ou excluir alguém do grupo propositadamente.

 O bullying pode acontecer durante ou depois das horas escolares, dentro da escola, mas também fora (nos espaços circundantes, nos meios de transporte) e na internet (por exemplo, no Facebook ou noutras redes sociais). Quer os rapazes quer as raparigas podem fazer bullying. As vítimas de bullying também podem ser raparigas ou rapazes.

A família e a escola são elementos muito importantes na prevenção e no combate à violência praticada contra crianças e jovens. Desta forma, os pais devem perguntar diariamente aos filhos sobre o dia na escola e, tentar perceber pelas respostas se os filhos têm comportamentos que podem ser indicativos de problemas de bullying, tais como:

  • Mostrarem-se tristes e deprimidos constantemente;
  • Apresentarem desculpas para não irem à escola e faltam regularmente;
  • Desenvolvem sintomas psicossomáticos (dor de cabeça, cansaço crónico, insónias, dificuldades de concentração, tensão muscular, desmaios, tremores, entre outros);
  • Falta de interesse nas diversas atividades;
  • Não ter muitos amigos e eventos sociais.

Encoraje os seus filhos a expressarem o que sentem, a dizerem “não” quando estão desconfortáveis e a não reagirem com violência, para não gerir ainda mais violência.

Em Portugal as vítimas de bullying podem recorrer à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) para obterem apoio. No site da APAV encontra-se informação útil e ajuda para este problema.