Family Chef

Vamos cozinhar?

Com o fim de semana aí à porta, hoje deixamos-te uma sugestão culinária: Mini-hamburgueres. Arregaça as mangas e põe as mãos a mexer.

Antes de começar, algumas recomendações:

Para as crianças:

– Lava bem as mãos, põe um avental e se tiveres cabelo comprido, prende-o;
– Lê primeiro a receita completa;
– Antes de começar a cozinhar, prepara os ingredientes e os utensílios;
– Pede ajuda a um adulto para usar facas e trabalhar com o fogão;
– Cria espaço para colocares os alimentos cozinhados e os crus, para que não se misturem;
– Lava as mãos sempre que manuseares carne, peixe e ovos crus;
– Sempre que terminares uma etapa, limpa e arruma a área de trabalho.

Para os adultos:

– Seja o treinador e não o ditador: oriente as crianças para que aprendam, compreendam o sentido das ações e sejam autónomos;
– Indique cada passo de forma concreta, do princípio ao fim: por exemplo, quando ligar mas também quando desligar o fogão;
– Separe as lições de cozinha da preparação das refeições, para lhes dar tempo e espaço para criar e experimentar (e sujar e limpar…);
– Deixe-os errar e fazer de novo, afinal a cozinha é provavelmente uma das melhores arenas para aprender a lidar com a frustração e a ser persistente;
– Se tiver crianças de idades diferentes, pense na melhor forma de os envolver a todos. Os mais novos podem preparar os ingredientes, os mais velhos podem cortá-los. Os pequeninos conseguem amassar massas e os mais velhos podem pesar e temperar.

MINI-HAMBÚRGUERES

Ingredientes
250 gr de carne picada
2 colheres de sopa de queijo ralado (o ideal é o queijo parmesão)
1 colher de sopa bem cheia de pão ralado
1 cebola pequena picadinha
1 alho picadinho
1 ovo
1 colher de chá de orégãos secos
azeite (1 colher de sopa + qb para fritar)
um tomate fatiado
folhas de alface
pão a gosto (ou o que houver)

Preparação

Antes de juntar os ingredientes, forra um tabuleiro com papel vegetal onde irás colocar os hambúrgueres. Numa taça, mistura os seguintes ingredientes: carne picada, queijo e pão ralados, cebola e alho, ovo, orégãos, azeite. Com as mãos bem lavadas, envolve tudo muito bem até estar bem misturado. Faz bolinhas do tamanho de almôndegas, coloca-as no tabuleiro e achata-as. Deixa-as descansar meia hora no frigorífico e depois frita-as numa sertã com um fundo de azeite. Serve entre fatias de pão com uma rodela de tomate e uma folha de alface. Se não tiveres pão à medida, pega no pão que tiveres e corta à medida dos teus hambúrgueres.

Bom apetite, e já sabes, partilha connosco os teus mini-hamburgueres. Envia-nos fotos para piicie@cm-boticas.pt

Dia Mundial das Leguminosas

O dia 10 de fevereiro foi proclamado como o Dia Mundial das Leguminosas na Assembleia Geral das Nações Unidas de 20 de dezembro de 2018.

As leguminosas mais populares são os diversos tipos de feijão (preto, encarnado, manteiga, branco e frade), grão-de-bico, ervilha, soja, lentilha e fava, entre outros.

Apresentamos-te 10 razões para incluíres leguminosas nos teus hábitos alimentares:

  1. Este grupo de alimentos apresenta naturalmente um baixo teor de gordura e não contém colesterol, o que pode contribuir para reduzir o risco de doenças cardiovasculares.
  2.  As leguminosas também têm baixo teor de sódio. Cloreto de sódio, ou sal de cozinha, contribui para a hipertensão e pode ser evitado com o consumo de alimentos com baixos níveis de sódio, como as leguminosas.
  3. Elas são uma ótima fonte de proteína vegetal. Surpreendentemente, 100 gramas de lentilhas secas contêm 25 gramas de proteína! Durante a cozedura, as leguminosas absorvem quantidades consideráveis ​​de água, reduzindo assim seu conteúdo de proteína para cerca de 8%. Porém, é possível aumentar a qualidade da proteína de legumes cozidos simplesmente combinando-os com cereais na refeição. Um exemplo é o de arroz de feijão.
  4. As leguminosas são uma boa fonte de ferro. A deficiência de ferro é considerada uma das formas mais comuns de desnutrição e é um dos tipos mais frequentes de anemia. Para ajudar a otimizar a absorção de ferro no corpo com leguminosas, a recomendação é combinar com alimentos que contenham vitamina C, como por exemplo, adicionando sumo de limão ao molho de lentilhas.
  5. As leguminosas são ricas em potássio, o que ajuda na saúde do coração e desempenha um papel importante nas funções digestivas e musculares.
  6.  As leguminosas são frequentemente citadas entre os principais alimentos ricos em fibra, necessários para auxiliar a saúde digestiva.
  7. As leguminosas são uma excelente fonte de vitamina B naturalmente presente em muitos alimentos e essencial para a função do sistema nervoso.
  8. As leguminosas podem ser armazenados por um longo período e por isso podem ajudar a aumentar a diversidade das dietas.
  9.  As leguminosas são alimentos de baixo índice glicémico. Ajudam a estabilizar os níveis de açúcar no sangue e de insulina. Por isso, são adequadas para pessoas com diabetes e ideais para o controlo de peso.
  10. Finalmente, as leguminosas são naturalmente isentas de glúten. Isso faz delas uma opção ideal para celíacos.

Pratos como jardineira, feijoada, sopa de feijão, bacalhau com grão de bico, tão tipicamente portugueses, são opções muito ricas, e ótimas sugestões para a adoção de uma alimentação cuidada.

E tu, já comeste leguminosas hoje? Partilha connosco os teus pratos favoritos! Envia-nos um email para piicie@cm-boticas.pt